Jesus comparou a ação da Palavra de Deus com uma semente. Contudo, o Senhor afirmou que nem sempre esta semente encontra terra boa para frutificar. Isso acontece na vida daqueles que não encontram tempo para cultivar em seu coração a oração e  os ensinamentos do Mestre. Desse modo, não se cria raízes em Deus, logo não se gera frutos. 

Não seja uma terra superficial,  cheia de pedras ou espinhos. Busque a intimidade com Deus encontrada na oração profunda. O Catecismo da Igreja Católica define oração como a “elevação da alma para Deus” (CIC 2559), além disso traz uma citação de Santa Terezinha do Menino Jesus que em seus manuscritos falou sobre como entendia a oração: “Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado para o céu, é um grito de gratidão e de amor, tanto no meio da tribulação como no meio da alegria”. Mas esse caminho exige uma ação de renovação interior. 

São Paulo, em sua carta aos Filipenses afirma: “trabalhai na vossa salvação com temor e tremor […]. Porque é Deus quem, segundo o seu beneplácito, realiza em vós o querer e o executar.” (Fil 2, 12b. 13). O apóstolo usa duas expressões interessantes: “Trabalhai” e  “Deus realiza em vós”. Ou seja, fala de um trabalho cooperativo: você faz sua parte, Deus a Dele. 

Neste caminho, entendamos quais as ferramentas usadas por Deus, na realização dessa obra de transformação na vida do homem.

1. A Palavra de Deus é a primeira grande arma usada por Deus para nos transformar

Quando falamos de Palavra de Deus, estamos falando sobre a Bíblia e, em especial, os Evangelhos. O Espírito Santo habita em suas páginas. Esse livro não pode ser lido de forma superficial. De certo modo, pode-se dizer que é a Palavra quem lê as intenções e sentimentos do nosso coração. 

O salmista canta, em um dos salmos que louvam a ação de Deus por meio de sua Palavra: “Teu mandamento me faz mais sábio que meus inimigos, porque ele me pertence para sempre. Percebo mais do que todos os meus mestres, porque medito teus testemunhos. Tenho mais discernimento que os idosos, porque observo os teus preceitos” (Sal 118, 98-100).

2. Os sacramentos, em especial a Eucaristia e a confissão

Neles encontramos o alimento para fazer crescer nossa vida espiritual. Do mesmo jeito que para estarmos fisicamente saudáveis, precisamos nos alimentar bem, para estarmos espiritualmente saudáveis precisamos dos sacramentos. 

A Eucaristia é o próprio Deus que se dá em alimento. Só Deus poderia pensar algo assim. A Confissão é um encontro íntimo com Deus, no qual sempre sabemos o desfecho: Deus nos perdoa de modo completo, pois não se limita em amor e Misericórdia. 

3. As circunstâncias da vida que se apresentam a nós

Deus se utiliza dos fatos de nossa vida para que cresçamos na vida interior, nos transformemos em uma nova pessoa. Pode ser uma falência econômica, uma doença, uma grande desilusão. Ou realidades positivas como o nascimento de um filho, um novo emprego ou uma surpresa afortunada. 

Essa dimensão só será capaz de nos transformar quando escolhermos enfrentá-la com o coração em Deus e em sua Palavra. Muitas vezes, estamos focados na nossa irritação ou impaciência, é preciso enxergar as coisas na perspectiva de Deus. 

Tudo que nos acontece pode ser usado pelo Senhor para criar um grande bem em sua vida. 

4. Renovar nossa mentalidade sob a ação do Espírito 

O Espírito Santo é o educador das almas (cf. Sb 1, 5), o qual nos forma e edifica com seus dons e frutos espirituais. Aqui estamos falando de uma ação de transformação que tem como base tudo o que já foi dito. A partir da oração íntima, da Palavra de Deus, da vida sacramental, é possível experimentar a ação do Espírito em nossas vidas. Essa graça transforma a mentalidade – antes secular e mundana – em uma mentalidade fundamentada nos valores do Evangelho, e cheia de paz, caridade, alegria, bondade, e demais frutos do Espírito Santo. 

5. Nossa confiança no Senhor

Sozinhos nada podemos, mas com Deus somos invencíveis. Confiemos nele, saibamos esperar, pois o tempo de Deus é perfeito. Saber esperar, perseverar, aguentar pode ser difícil, mas às vezes este é o melhor jeito de colaborar com as obras do Pai. A transformação de sua vida não é algo que você conseguirá sozinho, assim como não é algo a ser recebido sem nenhum esforço. É um trabalho conjunto, de quem se deixa transformar pelo seu Criador, que sempre sabe o melhor pra nós.